TV 3D é para você?

Todo mundo quer vender a grande novidade dos últimos anos em tecnologia de TVs, o sistema tridimensional de imagens conhecido como “3D”.
Mas, ninguém conta que o sistema também pode causar, literalmente, muitas dores de cabeça aos seus utilizadores, entre outros problemas até mais sérios.

 

Revistas, anúncios na TV, lojas, vendedores e muitos entusiastas ressaltam a nova tecnologia 3D utilizada nos televisores atuais, mas essa tecnologia funcionará bem para você?

Todos aqueles envolvidos com a comercialização ou divulgação da tecnologia 3D deveriam ter o cuidado de informar aos consumidores que este recurso pode causar sérios desconfortos aos seus utilizadores, entre eles, os mais conhecidos são: dores de cabeça, dores nos olhos, cansaço visual, enjoos, tonturas, desmaios, entre outros.

Uma pesquisa online, feita pela Associação Americana de Optometria mostrou que 25% dos norte-americanos apresentam dores de cabeça, problemas de visão turva ou náuseas ao assistir as imagens 3D.

Os fabricantes sabem dos problemas, e mantêm suas próprias pesquisas sobre o assunto, porém não divulgam os resultados.

Curiosamente, algumas pessoas sequer conseguem perceber o efeito 3D, mas ninguém conta isso. Fabricantes e revendas querem mais é vender seus produtos, e os veículos de comunicação apenas destacam as maravilhas da nova tecnologia presente nas TVs.

Apesar de bem mais raros, casos de desmaios ou descolamentos de retina também podem ocorrer.

Em alguns casos, os efeitos de desconforto estão associados a outros problemas de saúde como o astigmatismo, a fotofobia e a labirintite, em outros não há ainda causas identificadas.

Muitos fabricantes orientam os consumidores a fazer pequenas pausas durante uma apresentação em 3D, mas isso só aparece nos manuais do aparelho, que o consumidor normalmente tem acesso somente após a compra da TV. Não há informação sobre isso em anúncios, e poucos vendedores se preocupam em divulgar esses problemas aos seus clientes.

Outra recomendação é assistir à programação 3D o mais afastado da tela possível.

Algumas soluções para estes problemas já estão sendo desenvolvidas pelos fabricantes, mas pode ainda demorar muitos anos até que sejam introduzidas nos aparelhos.

O problema ocorre nas imagens em 3D, ou seja, uma TV com a tecnologia 3D, mas que está sendo usada com um programa convencional em 2D, não oferece estes riscos os usuário.

Há relatos também de que a tecnologia de óculos 3D passivos (sem baterias) minimiza estes problemas, mas não os elimina completamente.

Antes de comprar uma TV 3D, recomendamos que se faça um teste antes, que experimente a tecnologia com a sua família, e certifique-se de que esta tecnologia é realmente boa para você e para quem mais for utilizá-la.

Telas 3D e óculos criam a ilusão de profundidade, mostrando imagens diferentes para cada olho. Dessa forma, simulam a maneira como objetos que estão a distâncias diferentes na vida real aparecem em lugares ligeiramente diferentes no campo de visão de cada olho.
Isso é suficiente para a maioria de nós percebermos uma cena com profundidade. Mas os nossos olhos também percebem uma outra sugestão de profundidade em uma cena: eles esperam ter de se concentrar em diferentes distâncias para ver nitidamente.
Mais especificamente, os nossos olhos acompanham um objeto que se aproxima, girando para dentro, em direção ao nariz. Se um objeto chega perto demais, ficamos vesgos. As telas 3D também suscitam uma reação quando mostram algo que se aproxima do espectador.
O problema é, quando os olhos se voltam para dentro, também esperam ter de aumentar o foco. Mas uma tela não está se movendo, estão os olhos têm de conter a sua inclinação voltar a focar para trás. Esse descompasso entre o local onde os olhos acham que o foco deveria estar e onde a tela está realmente é que causa um esforço extra.

– Isso causa parte do desconforto e da fadiga que as pessoas estão sentindo – diz Martin Banks, um professor de oftalmologia da Universidade da Califórnia.
O problema aumenta quando a tela se aproxima – exatamente o que está acontecendo com o 3D migrando dos cinemas para as nossas salas de estar e videogames portáteis.

2 Comentários em TV 3D é para você?

  1. em casa somos em 4 pessoas, somente eu não tive problemas com a tv 3d que compramos, apesar de sentir um pouco de cansaço em filmes longos
    engraçado como não lemos muito estas coisas por aí
    parabéns por mais esta preciosa colaboração aos seus leitores, se eu tivesse lido isso antes, não teria comprado essa droga

  2. Eduardo,

    Muito oportuno o seu alerta. Admiro como você aborda temas pouco tratados pelas publicações tradicionais.

    Vou lhe relatar um fato que aconteceu comigo e que ilustra bem esse ponto que você levantou.

    Adquiri um Tv 3D recentemente, e acho melhor não declinar a marca para não dizerem que trata-se de propaganda contrária.
    Acreditei num teste que li onde o aparelho recebeu a mais alta qualificação de uma revista.

    O vendedor da loja também me fez grandes elogios do aparelho e insistiu que eu estaria fazendo uma boa compra.

    Depois de alguns dias instalado em minha casa, aluguei dois filmes blu ray em 3D e coloquei um deles para assistir com a minha esposa. Depois de uns 15 minutos assistindo ao filme, minha esposa reclamou que estava sentindo um incomodo nos olhos, e depois de meia hora se queixou de do de cabeça. Ressalto aqui que minha esposa não tem labirintite, astigmatismo, ou qualquer um dos problemas mencionados em seu artigo.
    O fato é que depois disso ela parou de assistir o filme e se retirou da sala reclamando de muita dor de cabeça e mal-estar.
    Essa dor de cabeça dela durou até o final do dia, não desaparecendo imediatamente.
    Eu senti um incômodo inicial nos olhos, e depois um pouco de dor mas assisti até o final. Quando o filme terminou e tirei o óculos, me veio um mal-estar com náuseas. Mas não tive dores na cabeça, e o mal-estar sumiu depois de algumas horas.

    Mas, isso também não foi tudo. Durante a passagem do filme, minha filha chegou e pegou o óculos que minha esposa havia deixado ali e colocou para assistir o filme. Em menos de meia hora ele também reclamou que estava se sentindo muito incomodada e tirou os óculos.

    Estranhei o fato, mas não dei muita importância naquele momento.
    No dia seguinte coloquei o segundo filme, e juntos tentamos novamente. Os resultados se repetiram, e já fiquei com a pulga atrás da orelha.

    No final de semana voltei a loja para conversar com o vendedor, e para a minha surpresa havia um outro comprador reclamando de sintomas diferentes que aconteceram somente com ele. Uma outra marca e modelo de Tv.
    Quando o vendedor se desocupou do outro cliente eu fui conversar com ele. na maior cara de pau ele me disse que era a primeira vez que ouvia algo semelhante, e me sugeriu que tivéssemos comido algo que tivesse feito mal…
    São nestes momentos que temos a vontade de fazer alguma bobagem, pois é um absurdo alguém ser tão pilantra.

    Nem preciso dizer que briguei com o vendedor e lhe disse que havia escutado a reclamação do outro cliente. Ele se calou e fui embora muito irritado.

    No dia seguinte conversei com o serviço autorizado da marca e ouvi deles que não havia qualquer problema com o Tv, que estas reações ocorriam com alguma frequência e que nada havia de ser feito com o Tv.

    No mesmo dia voltei à loja e procurei o gerente, que se prontificou a aceitar o produto de volta.

    Portanto, fica aqui mais um relato de um comprador de Tv 3D que se deu mal com essa tecnologia suspeita, para enriquecer sua abordagem sobre o assunto.

    Obrigado por sua honestidade em levar para nós consumidores informações úteis como esta, porque se dependermos de vendedores, revistas e fabricantes, estamos mesmo num mato sem cachorro.

    Um abraço para você e todo o pessoal que mantém esse site,

    Fernando Araújo Simionato

Faça um comentário