App para Medir a Velocidade de um Toca Discos de Vinil

Um aplicativo para Android que mede a velocidade e a variação de rotação de um toca discos.

Por Eduardo Martins

Esta sugestão não é nova, mas testei um aplicativo para medir a velocidade do meu toca discos de vinil e o resultado foi bem mais preciso em relação ao último teste que fiz há aproximadamente 4 anos. Pelo jeito o aplicativo evoluiu bastante nesse período.

O aplicativo chama-se “RPM Speed and Wow“, está disponível na loja Google Play (Aqui), e é gratuito. Como não tenho iPhone, não consigo comentar sobre aplicativos semelhantes para este sistema operacional, mas certamente tem opções tão boas quanto esta também para o iPhone.

O aplicativo é bastante simples, mas requer que o aparelho celular tenha a função “Giroscópio”. Essa função funciona a partir de um recurso físico do aparelho, ou seja, através de um componente de seu circuito, e, portanto, não pode ser instalado como um aplicativo.
É importante confirmar se o seu aparelho tem essa função e se está habilitada (o Google facilmente lhe dará essa resposta). Lamentavelmente, como é prática comum a alguns aplicativos, alguns usuários fazem a instalação sem confirmar a existência do recurso em seu celular, e , pior do que isso, ainda fazem comentários negativos do aplicativo, chamando-o de “lixo”, ou dizendo que ele não funciona. Um desrespeito ao desenvolvedor do aplicativo já que o problema não é dele, mas do usuário que não sabe sequer verificar a compatibilidade de um aplicativo com o seu smartphone.

Depois de baixá-lo e instalá-lo em seu smartphone, a utilização do aplicativo é bastante simples:

a) Com o toca discos desligado, coloque o seu celular com o aplicativo aberto o mais próximo do centro do prato, se possível sobre o clamp, se tiver, com a tela para cima.
b) Toque em “START” na tela do aplicativo e ligue o toca discos. Uma faixa vermelha vai correr num intervalo de tempo para que você ligue o toca discos e a velocidade de rotação se estabilize. Depois disso será a vez de uma faixa azul percorrer um intervalo de tempo realizando a medição de velocidade do prato e registrando as suas variações.
c) Ao final da leitura o aplicativo indicará a velocidade média do toca discos. Tocando em “GRAPH”, será apresentado um gráfico com a variação de velocidade (Wow) encontrada.

Com relação à precisão, posso garantir que ela é muito boa. Eu comparei as leituras obtidas com o aplicativo com um medidor industrial que utilizo no trabalho, e o resultado foi o mesmo.

Um detalhe: Dependendo do toca discos, a velocidade pode variar um pouco com o peso do celular. Então coloque somente o celular, sem nenhum disco para não somar pesos.
Meu celular pesa 165g sem cartão, e a velocidade ficou dentro da precisão esperada. Na opção de velocidade de 33 rotações, a marcação do aplicativo deve ficar entre 33,3 e 33,6. Na opção de 45 entre 45,0 e 45,3 e na opção de 78, entre 78,0 e 78,3.

Cuidado com as rotações mais elevadas para que o celular não escorregue e caia do prato.

Encontrei um vídeo que demonstra o uso do aplicativo (não esqueçam de agradecer o autor):

Mantenha o aplicativo atualizado.

speed1   speed2   speed3

 
for the serious

4 Comentários

  1. Tenho um amigo que se considera audiofilo e tem uma sistema bacana que só o toca disco custou mais do que o carro que ele deu para o filho. Tudo de “niver raiend” e calibrado, com paredes tratadas e tudo mais.
    Um dia ouvindo um disco na casa dele, comentei que a música estava estranha, parecia um pouco fora de rotação. Ele riu de mim, e me disse que eu estava tão viciado em musica digital que estranhava uma música tocada com uma qualidade de alto nível. Deixei pra lá.
    Depois de alguns dias ele me confessou que realmente a velocidade do toca discos dele estava mais baixa por causa de um clamp, aquele peso central, estava forçando o mecanismo e a velocidade caia. E há algum tempo isso acontecia e ele não percebeu.
    Eu acho que esse pessoal audiofilo de vinil são maluco. Gastam um dinheirão em equipamentos mas no fundo não conhecem nada. Não largo meu MP3 que pelo menos toca na velocidade certa ah ah ah…. e não tem aqueles ruidos pipocando.
    Se eu tivesse esse aplicativo na epoca tinha comprovado o que eu disse.

  2. Olá Zatus

    Obrigado pela participação.

    O problema, na verdade, nem são os equipamentos. Tá certo que existem equipamentos rotulados de “Hi-End” que custam uma fortuna mas não valem o que pedem, mas no geral temos excelentes equipamentos de alta fidelidade no mercado capazes de proporcionar um resultado muito bom.
    O problema maior é achar que os nossos ouvidos são perfeitos e foram “treinados” ao longo do tempo. Nossos ouvidos não nos contam tudo, aliás, escondem muitas coisas.

    O pessoal mais velho e que investe fortunas em equipamentos, normalmente (uma boa parcela), tem um ego muito maior do que a humildade, e apresentam uma tendência de achar que estão acima de qualquer um. Mal sabem que uma criança de 10 anos tem ouvidos mais eficientes do que eles, e que são justamente os nossos ouvidos que agem como um funil de toda a instalação que foi feita. Poucos tem a preocupação de avaliar isso e até corrigir, o que muitas vezes é possível.
    Mas, muitos audiófilos (a maioria) só se preocupam com equipamentos, e em qualquer grupo de conversa o padrão é o mesmo, hipervalorizar equipamentos e acessórios inúteis, exibir o quanto pagou naquela “tralha” toda, buscar massagem para seus egos inflados e ainda querer oferecer ensinamentos e opiniões “maduras” sobre algo que despreza as suas próprias limitações físicas.
    Abraços

Faça um comentário