Receiver JVC RX-D702

O receiver tem um papel muito importante num sistema de home-theater . É ele que decodifica os sinais de áudio que vem do DVD player , distribuindo-os e amplificando-os para cada uma das caixas que compõem o sistema surround . O receiver ainda faz a comutação dos sinais de áudio e vídeo, selecionando a fonte e o dispositivo de saída que vai receber os sinais. Normalmente apresentam inúmeros outros recursos interessantes para incrementar ainda mais a nossa sala de cinema.

Recebemos para teste o receiver JVC RX-D702, o mais sofisticado da família formada também pelos modelos RX-D206B e RX-D402, dos vendidos no Brasil, e com importação e garantia oficial da JVC.

Trata-se de um equipamento muito bonito, com um acabamento bem cuidado e um design que chama a atenção pela altura de apenas 9 cm. Porém, não se engane, pois com seus 7,8 kg o D702 fornece uma potência respeitável de 110 watts RMS (potência real) por canal.

Para começar a falar de suas principais virtudes, citamos as entradas HDMI, um recurso ainda não presente na maioria dos receivers . Este tipo de conexão (junto com o DVI) é superior ao videocomponente, que até há pouco tempo era a melhor conexão disponível na maioria dos players . Na conexão HDMI os sinais são conduzidos na forma digital, sem perdas, e players com essa saída apresentam melhor resolução em TVs e projetores compatíveis com esse recurso.

A utilização da tecnologia DCDi, da Faroudja, também é pouco comum em receivers , e quando muito é encontrada em poucos players no exterior. O DCDi elimina o indesejável “serrilhamento” observado nos contornos das imagens.

O sistema de amplificação digital, outro recurso oferecido por esse aparelho, e que utiliza componentes premium de alta qualidade, colaboram para o ótimo desempenho sonoro percebido durante os testes.

A tecnologia USB Wireless permite que um computador transmita música para o receiver, sem qualquer ligação por cabos. Para isso é fornecido um pequeno módulo que se encaixa na saída USB do micro, e é automaticamente reconhecido e configurado pelo Windows. Eventualmente, pode-se utilizar a entrada USB disponível no receiver para conexão de qualquer aparelho que disponha desta saída.

O aparelho decodifica os principais padrões hoje disponíveis de Dolby e DTS, inclusive em 7.1 canais. São eles: Dolby: Digital 5.1, EX, Pro Logic IIx; DTS: DTS, ES, 96/24, Neo:6.

Apesar de ser mais baixo que a maioria dos aparelhos, dispõe de entradas e saídas de gente grande, com inúmeras opções de ligações para todas as necessidades.

A qualidade de áudio está garantida pelos conversores de 24 bit/192 khz, que proporcionam uma ótima resolução sonora. E para ajustar o som para todos os gostos, existem sete modos DAP, que criam uma simulação de diferentes ambientes de reprodução, e um equalizador de 5 faixas (63Hz, 250Hz, 1Khz, 4KHz e 16Khz), bastante precioso e que substitui com vantagens os tradicionais controles de graves e agudos, podendo ser ajustado e memorizado para cada uma das entradas de áudio.

Outro recurso chamado de K2 promete melhorar a reprodução de CDs, e durante o teste provou uma sutil melhora na qualidade do som. O aumento da taxa de amostragem (upsample) também proporciona uma melhora do som, ao multiplicar a taxa de amostragem original do CD e do DVD em quatro vezes.

Um sintonizador AM/FM completa a versatilidade do receiver, com uma boa e limpa recepção.

Um recurso bastante interessante é o sistema automático de ajuste de distância e nível sonoro de cada caixa. Nada de microfones, tons de testes ou decibelímetro, simplesmente as suas mãos !!! É isso mesmo, você se senta confortavelmente em sua poltrona e, enquanto você bate palmas acima da cabeça, os próprios altofalantes das caixas, funcionando como microfones, captam os sons das batidas de suas mãos e enviam para o receiver , que por sua vez processa estas informações e efetua os ajustes necessários. Muito prático e bastante funcional, sem complicações.

São muitos outros recursos, e só uma lida cuidadosa no manual de operação para se aprofundar neles e tirar o máximo proveito da tecnologia que sobra neste aparelho. Por falar em manual, este é bem completo, como deve ser o manual de um aparelho desta complexidade. Portanto, melhor reservar um tempo para a sua leitura.

EM OPERAÇÃO

Mas, é ligado que o JVC 702 se mostra ainda mais interessante.

O aparelho fica mais bonito com os contornos acesos nos dois grande botões de volume e seleção de fonte. O display fornece informações claras e completas, e pode ser desligado para evitar algum incomodo visual durante a sessão de cinema.

O som fornecido pelas caixa é bastante potente, com impacto e sem tender ao exagero. Tudo na medida certa, com qualidade e um detalhamento muito bom para um equipamento sem pretensões hi-end. Os sons da faixa de média frequência, onde se concentram as vozes, são bem definidos, e permitem uma compreensão tranqüila dos diálogos. Os agudos são suaves e bastante agradáveis, e os graves potentes e precisos.

A experiência de assistir um filme com a trilha sonora bem reproduzida é realmente fascinante, e aumenta a sensação de estar dentro da cena. O envolvimento ( surround ) se mostrou bem ajustado com o sistema automático, e posteriormente aferido com um decibelímetro e um disco padrão de testes, reforçou essa conclusão.

Com o sistema de equalização é possível ajustar melhor o som para as características da sala e das caixas.

Os modos DAP são bastante interessantes, e dependendo da seleção, é nítida a impressão de estar numa grande sala de concerto, com sua reverberação característica.

Mesmo para uma simples reprodução em estéreo com um CD player , ou mesmo usando o próprio aparelho de DVD, o JVC se mostrou bastante competente.

As qualidades presentes na saída HDMI do DVD player foram preservadas mesmo após trafegar pelo receiver.

O sistema DCDi Faroudja funcionou perfeitamente, eliminando qualquer vestígio de “serrilhamento” das imagens.

O controle remoto é bastante completo, com as teclas principais em destaque, e as menos utilizadas ocultadas por uma tampa deslizante de abertura muito prática, facilitando bastante seu uso para quem não quer muita complicação. Porém, merecia algumas teclas um pouco maiores e iluminadas. As teclas principais ainda utilizam o sistema de absorção de luz, ou seja, deixado exposto à luz, é possível uma leitura no escuro por algum tempo, mas não é tão funcional como o sistema de iluminação. Aliás, já está na hora dos fabricantes entenderem que estes equipamentos são muitas vezes utilizados em salas completamente escuras, e encontrar as teclas nestas condições é em verdadeiro “tiro no escuro”.

O que chamou a atenção também foi o aquecimento do aparelho. Mesmo dispondo de uma ventoinha interna, o receiver esquenta bastante, e por isso recomenda-se utilizá-lo em local bem ventilado e sem outros aparelhos sobrepostos.

Apaixonado por eletrônica desde criança, não resisto a tentação de abrir um aparelho para conhecer a sua montagem interna. A surpresa foi muito boa. Muito cuidado na distribuição dos componentes, um aproveitamento racional do espaço e muito cuidado na montagem. O mínimo que se poderia esperar da JVC, que sempre foi muito cuidadosa em seus projetos.

O único ponto desfavorável é o preço. A JVC precisa rever sua estratégia de preço para este receiver, pois me pareceu bastante alto para este receiver, mesmo desta categoria.

Imagem conduzida de forma impecável, som de primeira, design diferenciado e recursos intermináveis fazem deste aparelho uma ótima opção.

Avaliação: Imagem Imagem Imagem Imagem Imagem

Equipamentos associados:

Projetor Sanyo Z4
TV CRT Toshiba 34”
DVD Sony NS900V
DVD OPPO OPDV971H
DVD Philco DVT-100
Caixas acústicas B&W séries CM e CDM
Cabos de conexão AudioQuest e Siltech
Filtro de Linha Powerline Audiófilo

Características Técnicas:

Modos de Processamento : Dolby : Digital 5.1, EX, Pro Logic IIx
DTS : DTS, ES, 96/24, Neo:6
Outros : 7 modos DSP
Entradas :
Vídeo : HDMI (2) videocomponente (2), S-video (4), videocomposto (4)
Áudio : coaxial digital (1), óptica digital (3), 5.1- canais analógicos (1), estéreo analógico (5), 0.25- pol. fone de ouvido (1)
Saídas :
Vídeo : HDMI (1), videocomponente (1) S-video (3), videocomposto (3)
Áudio : óptica digital (1), estéreo analógico (2), subwoofer (1)

Acessórios: Conexão wireless PC : antena, entradas USB
Conversão de Áudio : 24-bit/192-kilohertz
Número de canais : 7
Potência (watts RMS por canal) : 150, em 6 ohms
Resposta de Frequência : –3 dB de 20 Hz a 20 kHz
Dimensões (L x A x C, mm) : 435 x 91,5 x 371
Peso (kilos) : 7,8
Preço : R$ 4.500,00

FOTOS

Design com pouca altura. Elegante e com acabamento sóbrio

Vista do painel traseiro. Estreito, mas com bastante opções de conexões

Acima: Painel frontal que abre expondo conexões. Abaixo: Entradas HDMI


Botões com bela iluminação. Conexão wireless (abaixo)

Controle remoto fechado (com transmissor USB wireless ao lado) e aberto abaixo

Vista interna com ventoinha em destaque ao centro, e transmissor USB wireless

Vista interna demonstrando uma montagem bastante cuidadosa

Com o painel aceso acima. Abaixo, teste com TV CRT

Junto com o player Sony (ao centro) utilizado no teste. Foram utilizados ainda mais dois players

Imagens obtidas com o projetor Sanyo Z4

Deixe uma resposta