Construindo uma sala de áudio (e vídeo) dedicada – 5ª Parte

Aterramento…
A eterna discussão do aterramento ser importante ou não…
Sim, ele é, e muita gente já confirmou isso, tanto na qualidade final de som e imagem quanto no funcionamento adequado do sistema de filtragem e proteção, do qual falaremos daqui a pouco.

Mas, aterramento não é o fio “neutro” da tomada. Ele é exclusivo, feito com uma barra de cobre de ótima qualidade fincada no solo, se possível logo junto ao equipamento, atravessando o piso. Dá trabalho? Sim, um pouco. Mas o resultado é muito compensador.

Aterre tão somente o filtro ou o condicionador nele, mais nada, para evitar o risco de “loop de terra”, que pode induzir ruídos no som.

Segue a foto do aterramento que fiz na sala de equipamentos, no piso, junto ao sistema de filtragem e logo abaixo do painel de força.

Imagem
Faça um aterramento com qualidade, com uma barra de cobre, e com contatos limpos e firmes, e revise tudo periodicamente.
O aterramento melhora o desempenho do sistema e é necessário nos bons sistemas de filtragem e proteção.

Imagem
Ligue o aterramento somente ao filtro, ou na falta dele somente no amplificador ou receiver, para evitar o loop de terra.
Faça a ligação com bastante qualidade. Neste caso, foi ligado com um conector do tipo “banana”, muito firme, e banhado a ouro.

Passamos agora para as unidades de filtragem e proteção.

Apesar de todo esse trabalho na instalação de uma fase dedicada, a energia elétrica ainda não está pronta para uso.
Mesmo com os cuidados já tomados, alguns problemas ainda podem chegar aos nossos equipamentos, e só um bom sistema de proteção e filtragem, devidamente aterrado, podem eliminá-los.

Primeiro, um bom filtro de linha. Não esses de computador e outras “inutilidades” vendidas em algumas lojas “especializadas”, mas sim um filtro específico para tratar a alimentação elétrica de sistemas de áudio e vídeo de qualidade.
De todos que testei, de diversas marcas encontradas no Brasil, o Powerline if-115 foi o que apresentou melhor resultado. Mais uma vez, o mestre especialista Eng. Knirsch, colocou todo os seus vastos conhecimentos e experiências em energia elétrica, áudio e vídeo num produto sério, de qualidade e muito completo. Ele inclusive já possui um excelente sistema de proteção da rede contra inúmeros problemas, inclusive descargas elétricas, sobretensão, curtos e outros, além de evitar o religamento depois de uma falha, evitando algum tipo de anomalidade da rede. É uma proteção realmente séria, de qualidade industrial, e não aquelas encontradas nos protetores e filtros mais baratos do mercado, que basicamente não servem para nada.

O Powerline if-115, é o modelo Audiófilo, mais indicado para instalações hi-end. Ele possui um eficiente sistema de fltragem, como já pudemos comprovar em testes que realizamos aqui mesmo no Hi-Fi Planet.
Ele deve ser ligado na rede, utilizando aterramento, para uma maior eficiência.

O resultado é nítido, não deixando dúvidas quanto ao desempenho proporcionado.

Imagem
Filtro e proteção de linha Powerline Audiófilo, que pesa 18kg !!! mais detalhes do equipamento aqui: http://www.byknirsch.com.br/produtos-powerline-manual.shtml

Recomendo ainda um transformador abaixador de tensão, de qualidade, como os fabricado também pela by Knirsch (ou outro fabricante sério), sempre que usar equipamentos projetados para 110 ou 115V em redes nominais de 127V. O aparelho costuma apresentar uma sonoridade melhor e esquentar menos, o que também aumenta o seu tempo de vida útil.
Utilize um transformador de potência bem elevada, muito maior do que a necessária, para evitar qualquer compressão do som (muito comum com filtros e transformadores de baixa qualidade ou mal dimensionados).
Ligue o transformador antes do filtro.

Imagem
Transformador abaixador de voltagem. Preferi desativar o disjuntor que o acompanha (foi ligado direto internamente) para melhor resultado e por já possuir proteção suficiente na caixa de força.
O modelo é bastante robusto, silencioso e superdimensionado para evitar compressão de áudio.

Para o sistema de projeção, utilizei um nobreak senoidal da SMS, que se mostrou eficiente e rápido para suprir a falta de energia elétrica e proporcionar uma efetiva proteção ao projetor.
Utilizo e recomendo um nobreak senoidal, por possuir uma saída bem mais próxima das características originais da rede elétrica.
É de boa prática utilizar um nobreak no projetor, pois na falta de energia elétrica, ele mantém a ventoinha de resfriamento do projetor ligada pelo tempo necessário para resfriar a lâmpada adequadamente.

O nobreak também possui estabilização de voltagem e filtros, mesmo quando em uso normal (sem a falta de energia elétrica). Esta estabilização gera ruídos indesejados na saída, e a filtragem interna é muito fraca.
Assim, na saída do nobreak (de uso exclusivo do projetor), antes de alimentar o equipamento, utilizo um filtro de boa qualidade, o Ultimate Outlet, fabricado pela PS Áudio, consagrada mundialmente pela qualidade de seus produtos.

Imagem
Sistema de alimentação exclusiva do projetor, com nobreak e filtro de linha específico.

Novamente, os cabos de ligação deverão ser de boa qualidade.

Segue uma foto geral da “usina de força”:

Imagem

Os cabos de força que alimentam os aparelhos com cabos destacáveis são de qualidade também, da by Knirsch, PS Audio e os Maxxum ( http://smurf.com.br/loja/product_info.php?cPath=21&products_id=29 ), recentemente testados com sucesso.
Equipamentos de alto nível necessitam de cabos de qualidade para melhor desempenho, apresentando resultados bastante notáveis. Equipamentos hi-fi também ganham uma sensível qualidade.
Os cabos fornecidos na maioria dos equipamentos não possuem a qualidade desejada para atingir o melhor desempenho. Testar um cabo de qualidade é bastante recomendável.

Imagem
Os cabos elétricos de ligação dos equipamentos devem ser de ótima qualidade, para melhor resultado.

Bem, aqui finalizamos a parte de alimentação elétrica, passando agora para outros pontos importantes.
Mas, antes, algumas recomendações ainda relativas à parte elétrica:

1. Se não puder dispor de uma rede dedicada, ao usar o sistema, procure desligar o máximo que puder de equipamentos elétricos da casa, principalmente os que usam motores (ventiladores, bombas de piscina, etc.).

2. Não utilize lâmpadas fluorescentes em casa. Elas geram muita interferência (ruídos) na rede elétrica. Se tiver alguma que seja desnecessária na utilização da sala, desligue-a. Se alguma for realmente necessária, substitua-a por uma do tipo incandescente (filamento comum).

3. Se desejar utilizar algum sistema de ventilação forçada auxiliar nos equipamentos, como gosto de fazer, utilize um transformador isolador e um filtro de rede, além de um ventilador silencioso e de qualidade. Se tiver uma fase dedicada, então essa preocupação é desnecessária, porém ligue o ventilador na rede da casa, não na rede dedicada, óbvio.

Imagem
A utilização de um sistema de ventilação forçada auxiliar é muito interessante, pois auxilia o sistema de resfriamento próprio dos equipamentos, aumentando a sua eficiência.
Porém, utilize um ventilador de boa qualidade, silencioso, e não ligue-o na linha elétrica dedicada da sala.

4. Aparelhos de ar-condicionado devem também seguir a recomendação acima.

5. Em instalações com fase dedicada, não ligue nada desnecessário ao sistema nesta ligação (carregadores de celular, de controle-remotos, notebooks, etc…).

6. Mantenha ligado somente os componentes que for utilizar. Se for ouvir música estéreo pelo CD player e amplificador, deixe desligado o receiver, TV ou qualquer outro equipamento que não esteja em uso.

7. Se fizer ligações com tomadas, use tomadas de qualidade (Steck, Prime, etc.), preferivelmente de linha industrial , jamais estas baratas encontradas em supermercados.

8. Nunca use extensões em equipamentos hi-end, utilizando cabos e fios nos comprimentos adequados. Jamais emende a fiação elétrica e nunca utilize os tão populares “benjamins”.

9. Faça uma limpeza regular de todos os contatos de tomadas e plugs. Aqui neste site ensinamos como fazer isso.

10. Utilize somente fusíveis de qualidade (Siemens, por exemplo).

11. Não enrole os cabos de força dos equipamentos. Eles devem ser curtos e de qualidade (tanto o cabo como os conectores). Se for um cabo de um aparelho menos importante e não destacável (receptor de satélite, por exemplo), e precisar necessariamente enrolar o cabo, afaste-o de qualquer outro cabo ou equipamento. Evite enrolá-lo em círculos, faça-o em “S” e amarre-o com um pedaço de fio, barbante, etc.

12. Mantenha os cabos de força sempre distantes de qualquer outro cabo, mesmo que também de força.

Imagem
Cabos de força jamais devem ser encaminhados junto com os demais.

13. Reaperte periodicamente (pelo menos uma vez ao ano se não manipular muito os equipamentos) todas as conexões elétricas, fios terras, tomadas, plugs, etc.

14. Para o terra, utilize uma barra de cobre de qualidade, e com um comprimento de pelo menos 3 metros. Se for instalá-la junto ao equipamento, corte somente o necessário para conseguir manipulá-la dentro de casa.

15. Substitua todos os fusíveis dos equipamentos por modelos de alta qualidade, como alguns especificamente concebidos para uso em sistemas hi-end.

Imagem Imagem
Fusíveis de qualidade para uso nos equipamentos.

Antes de prosseguirmos com este artigo, recebi um e-mail agradecendo a publicação dos textos que, por falta de tempo, estão sendo formatados aos poucos. Mas, o que me chamou a atenção, é o fato do autor do e-mail perguntar onde consigo paciência e motivação para realizar esse trabalho até no dia de Natal.

Na verdade, uma boa parte do texto já estava pronta há algum tempo, aguardando somente ajustes e correções. Várias fotos também já estavam prontas, algumas há quase um ano. Poucas tiveram que ser preparadas.

É claro que não haveria disponibilidade de tempo para fazer tudo agora, numa única vez. E assim, vou fazendo os ajustes finais e publicando quando tenho um tempinho vago.

A minha motivação vem da satisfação em saber que posso estar ajudando muita gente que, como eu, tem uma grande paixão por este fascinante hobby.
Foram anos de pesquisas, testes e conclusões, que muitas vezes contrastam com o que muitos sites ou revistam publicam por aí, motivadas muitas vezes pelo interesse comercial da publicação.
Quem se dedica a um hobby sabe que a maior dificuldade muitas vezes é de mantê-lo financeiramente. Neste hobby de áudio e vídeo, a situação é ainda mais crítica, pois muitas soluções custam muito caro.

Este artigo foi criado para nortear aqueles que não querem ou não podem jogar dinheiro fora, e constroem seu sonhos com muito sacrifício. No meio de tantas bobagens que lemos frequentemente por aí, sem qualquer compromisso com a seriedade, espero realmente que este artigo possa se destacar pela sua objetividade, honestidade, utilidade e credibilidade.

Depois destas considerações, prosseguiremos agora com a escolha e a instalação dos equipamentos.

Seja o primeiro a comentar

Faça um comentário