Blu-ray players… qual a melhor opção?

A guerra de formatos de alta-definição acabou, e o Blu-ray foi o vencedor.

Finalmente!!!
O consumidor encontrava-se perdido no meio dessa indefinição, e investir errado poderia lhe deixar com um “caríssimo e desvalorizado” equipamento obsoleto em mãos, como aconteceu quando os formatos Betamax da Sony e VHS disputavam o padrão do videocassete.
Desta vez a Sony foi mais eficiente e consagrou-se vencedora. Mas, no passado não teve tanta sorte com o Betamax, nem os consumidores que investiram naquele formato.

Depois da tempestade… agora resta a dúvida sobre qual a melhor opção de player para embarcar na nova era da imagem de alta definição.

Muitos testes comparativos estão sendo feitos pelo mundo afora. Até agora o player que mais impressionou em qualidade geral foi o Pioneer Elite BDP-HD1 (foto abaixo).

Imagem

Mas, quem tem recebido mesmo a atenção de muitas publicações especializadas é o Sony PlayStation 3 (foto abaixo). Conhecido mais como um videogame, o PS3 pode ser considerado uma central de entretenimento.
A revista inglesa What Hi-Fi já apontou o PS3 como uma das melhores opções em várias de suas edições, e em alguns comparativos ele foi o líder.

Imagem

Entre suas grandes virtudes está o seu preço, muito abaixo dos players dedicados, sua confiabilidade, versatilidade e o fato de também ser um game. É preciso dizer que alguns recursos de interatividade, esperados nas novas gerações de players, já estão presentes no PS3.
A qualidade de imagem do PS3 também é admirável. Apesar de ligeiramente inferior ao do Pioneer, ainda supera muitos outros players.
Há uma promessa da Sony que seu “pequeno notável” ficará ainda melhor com algumas modificações que serão brevemente implementadas.

E, afinal, qual a melhor escolha?
Pessoalmente, acho que não é o momento de adquirir um player de Blu-ray dedicado, e justificarei esse entendimento.
Os primeiros players do novo formato lançados no mercado apresentam inúmeras limitações. Alguns possuem deficiências operacionais, falhas de leitura, recursos incompletos e tantas outros problemas naturais de um equipamento recém lançado. Basta, para efeito de comparação, lembrarmos que os primeiros DVD players lançados no Brasil sequer liam discos de dupla camada.
É evidente que esses players e o próprio formato ainda passam por um amadurecimento tecnológico que só o tempo vai colocá-los em um nível aceitável.

Alguns players à venda no Brasil já foram substituídos em alguns países, e seus sucessores ainda não foram lançados aqui.
Algumas publicações nacionais ainda elogiam e classificam esse tipo de player no topo da escala de valor, mas na verdade prejudicam o consumidor, podendo levá-lo a adquirir um aparelho que custa hoje perto de R$ 5 mil, e que além de já estar obsoleto, pode custar menos de R$ 1 mil no final do ano quando tentar vendê-lo para comprar uma das versões atualizadas.
Uma nova geração de aparelhos Blu-ray já está chegando ao mercado, por preços inferiores, mas estima-se que somente a próxima geração depois desta nivelará os equipamentos com o mínimo que se espera dessa tecnologia.

Outra agravante para desaconselhar a compra desses aparelhos neste momento é o preço. Os modelos disponíveis no mercado brasileiro custam até 5 vezes mais caro que os encontrados no mercado estrangeiro. Mesmo lá seus preços ainda estão elevados, e espera-se uma grande redução até o final deste ano.

Além disso, quem já tem um sistema completo, e pretende trocar seu DVD player por outro com a nova tecnologia, corre o risco de ter que comprar 2 novos aparelhos. Parece exagero, mas não é.
Muitos players importados não são compatíveis com o código de nossa região para reprodução de DVDs e sequer podem ser destravados. Outros também não reproduzem CDs de música.
Isso pode forçar o comprador a ter que adquirir, além do player de Blu-ray um DVD player para manter compatibilidade com o novo formato, e também poder reproduzir a sua coleção de CDs.

Decididamente, este não é o momento para entrar investir num player dedicado.
O que fazer então?

Nestas circunstâncias, o PS3 parece ser uma alternativa muito interessante. Tem um preço bem mais realista. Está há mais tempo no mercado e possui boa confiabilidade. Reproduz Blu-ray com uma ótima qualidade de imagem. E, num futuro próximo, quando a nova tecnologia já estiver mais madura e o consumidor desejar comprar um Blu-ray player dedicado, além de não ter investido demais no PS3 ainda poderá mantê-lo com uma unidade de entretenimento para os fantásticos games que tomam conta do mercado hoje.

Acredito que esta seja a opção mais adequada para o momento, e lá fora muitos consumidores já descobriram isso.

Infelizmente, aqui no Brasil, falta informação. As publicações, muitas vezes motivadas pelos interesses de seus anunciantes, criam um retrato pouco realista. Outros veículos de informação, inclusive na própria internet, acabam também distorcendo a situação, com opiniões confusas e prematuras muitas vezes contaminadas pela ansiedade de se possuir logo um player de alta definição.
Ninguém comenta, por exemplo, que nem todos poderão aproveitar o novo formato em seus sistemas atuais, e arrisco dizer que estes representam a maioria quase absoluta.
Antes de qualquer coisa, é preciso ter uma TV ou um projetor adequado à nova definição, com uma tela de grande tamanho e especificações compatíveis, ou pouca ou nenhuma vantagem será percebida em relação os modernos players de DVD atuais.

Antes de comprar seu player de Blu-ray, recomendo que pense um pouco mais. Aguarde o que vem por aí, tanto em tecnologia como em preço, e considere seriamente um passo intermediário, mais seguro, como um PS3.

Seja o primeiro a comentar

Faça um comentário